2.7.12

6, ao sabor do vento

Como uma pesada inocência e leve consciência se vão apaixonando pela vida. Não apreciam os bens materiais, não querem saber do que é feito do mundo que os rodeia, não precisam de conhecer tudo para se sentirem realizados. Não lhes interessa se és preto, branco, chinês, angolano ou se falas a língua mais estúpida do mundo. Tudo faz parte do mundo deles, tudo requer um pouco de atenção e tudo para eles existe e merece existir. Aprendem com eles próprios que devem partilhar, que devem gostar de cada pessoa mesmo que sejam diferentes de si mesmos. És tu, sou eu, são eles..não lhes faz diferença, logo que intervenhas no espaço deles e realizes o bem. Um pouco confusos, um pouco estúpidos, um pouco loucos. Eu era tal e qual mas o mundo transformou-me. A eles também irão transformar. Mas uma coisa ainda me deixa contente é que ainda há crianças..crianças que ainda pensam na barbie, no homem aranha, no dartação, na winx e que ainda por cima, quando forem grandes querem ser borboletas e voar. Também eu queria aprender a voar mas o mundo tirou-me as asas.

7 comentários:

Ana Margarida disse...

"Também eu queria aprender a voar mas o mundo tirou-me as asas." Lindo, lindo.

Maria João Cardoso disse...

tenho novo post e gostava mesmo que me desses a tua opinião em ambos os blogs clicando em "gosto" ou não, por favor.
diário do meu coração
blog de fotografia

Aurora disse...

Que bom ler-te <3

Aurora disse...

Oh que amor <3

Maria João Cardoso disse...

muito obrigada, podias dizer-me se te estou a seguir? é que gosto realmente do teu blog, acho que escreves muito bem.
// será que podes passar pelo meu blog de fotografia e se gostares deixar lá um "gosto" se faz favor?

IM A SPAMMER disse...

I MA SPAMMER

Madalena Marisa disse...

wow!