1.4.12

2, ao sabor do vento

E que tudo seja da maneira que sonho, sem falsas promessas. Sem palavras sinistras. Chega de cair em falsas expectativas. A vida é curta. Basta de lutar por pequenos frutos, escalar pequenas paredes, alcançar pequenos objectivos. Não é deixar hibernar os sonhos. Apagar pensamentos. Esquecer o que sempre quisemos. Riscar o que escrevemos nos blocos, guarda-los na gaveta para quando tivermos a verdadeira coragem de enfrentar tudo e todos. Este ano, a vida de novo me colocou contra a parede para entender melhor o mundo que vivo. E, admito que gostei. Gostei da imensidão da podridão que se rodeia aos nossos pés. Deixar-me embrulhar nela é que nunca mais. Quero. Quero aprender a saber seleccionar melhor as pessoas que quero verdadeiramente debaixo do meu braço. E oxalá daqui a uns anos, não me arrependa de ter que crescer mentalmente depressa demais. Tomara eu agradeça a mim própria o que fiz nesta altura da vida. Só tenho uma certeza, como também nasci sozinha independentemente de tudo, irei morrer sozinha. E isso não me preocupa. Garanto.

14 comentários:

MaGu disse...

Viver com tudo o que é real, nada de falsas esperanças, de falsas relações e de pessoas falsas.

Mel disse...

que lindo texto, gostei e adoro a música que tens aqui

Esther disse...

com todo o gosto:)

Esther disse...

agora que tenho franja não sei bem.. ahah. mas sim, o eyeliner, morena, cabelo escuro

Renata disse...

Está lindo o texto!

Renata disse...

Não tens de que :b

Ana Margarida disse...

Gostei imenso do blog, vou seguir.

cláudiagomes. disse...

Só miminho que me dás :)
E, eu gosto de tudo por aqui.

Filipa Magalhães disse...

que bonito :)

Aurora disse...

És totalmente um docinho<3

joana. disse...

Adoro a tua forma de escrever *-*

joana. disse...

Muito obrigada minha linda, do fundo do coração <3

Mariana Ferreira disse...

você já sabe que o seu blog tá nos meus favoritos :))

Mariana Ferreira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.