21.11.11

1, antiguidades bonitas dos meus rascunhos

Simulo estabilidade da tua personagem mas por outrora simulas personagens diferentes, em típicos dias de sol e em típicos dias de chuva. És estranho, com um traço de carinho a realçar a tua alma de criança serena. No fundo, mostras-me o teu lado mau como quem dá rebuçados a crianças (...) o teu lado bom prolonga com as mesmas espécies do que tu, em serões de cumplicidade. Não me mostres quem não és, dá caras contigo mesmo. Não te escondas, não enfraqueças ao lado de quem já te fez mal. Tenta compreender. Um coração cobiçado em demasia, dá-nos restos de plantações antigas, mortas e enterradas. Um coração despido mas encoberto de coisas malignas, dá-nos menos a cobiçar.

9 comentários:

sophia disse...

escreves tão bem querida :')

Andreia' disse...

Está mesmo lindo! Adorei*

sophia disse...

como tu :)

mary disse...

obrigada:)e gostei muito do que li

Mariana Ferreira disse...

escreves muito bem, gosto de ler o que escreves (:

angie disse...

muito obrigada linda

Madalena Mourisca disse...

coisa lindaaa!

Aurora disse...

obrigada amor

claire disse...

gosto tanto tanto