4.11.11

Ortografar o meu coração e dizer que é teu? Formar novas palavras para que saibas que não arranjo outras? Apalavrar que te amo para sentires que é forte? Não. Redijo-te um possante amor, sem fronteiras para que não possa ser avançado. Leio-te as escassas palavras que consigo pegar e largar, neste sobrenatural amor que carrego dentro de mim.

8 comentários:

alice disse...

QUE BONITO *-*

Jun disse...

que ternura..

wendy disse...

parabéns pela paixão toda c:

Maria Inês disse...

Está tão doce +.+

disse...

está de génio:)

patricia meneses disse...

oh, que lindo :)

beatrizpereira disse...

adoro o blog e o que escreves (:

han disse...

um belo texto!