13.9.11

Não, não tentem afogar as vossas faces algures, num beco sem saída. Não tentem desmascarar o tempo que fez de vós vivos, nus e sagazes. Não se dispam do resplandecente sorriso que nasceu convosco. Não excedam da tristeza e nem tirem partido da dor imperfeita. Não desfaçam o poder que reveste a vossa personalidade e não gritem ao coração. Não escondam à vida que gostam de vivê-la à vossa maneira. Não fiquem à coca, não cedam à velocidade do tempo. Não coloquem as vossas prioridades em segundo degrau, pois o primeiro perde-se por entre os dedos e depois...e depois nem dão por ela. Não fiquem a ver os navios, a vida revela-se à saída da porta ao lado. Não dependam dos "eis", partam em direcção a acção e quebrem as regras protectoras. Não desviem o caminho predestinado, limitem o trespasse das linhas contínuas e rectas. Não esperem pelo amanhã, o tempo por ora ainda clica nos ponteiros pequeninos dos vossos relógios de pulso. Não guardem remorsos, fiquem felizes porque ao menos a ocasião deu o ensejo do acontecimento. Não permaneçam nas músicas lamechas, enquanto ferem a vossa alma desprotegida e degredada pela tragédia (por maior que tenha sido). Não pintem a vossa tela de cores mais fastidiosas, cruas e vertiginosas. Não procurem o preto para se cobrirem, corram para as cores que chamam a atenção e tornam o vosso esboço imperfeito. Não proclamem lágrimas, dividam os sorrisos, os sorrisos que vos falei anteriormente. Não lidem com pessoas frias e sem coração, não merecem nada. Não sequem no sofá, levantem-se e gritem, pulem, riam-se, ide respirar o ar puro que a brisa trás perto da vossa janela. Vão elogiar o céu e agradecer ao Sol pelo bonito dia. Vão beijar os vossos amigos, abraçar os vossos avós, dar uns miminhos aos vossos animais de estimação que tanto vos estimam. Corram, deitem-se na relva, liguem as maneiras e molhem-se. Gritem à Lua que é linda e o quanto é bom aprecia-la quando nos sentimos sozinhos. Subam ao telhado, sentem-se e olhem para estrelas. Fiquem, fiquem assim por aí. E, por favor, não se esqueçam de amar, não omitam o que sentem, não desprezem a palavra viver, não percam a sensibilidade de respirar mas acima de tudo, não deixar de ter em conta, que vocês são quem são, e não por alguém que vos quer de outra maneira, sois vocês, vocês próprios. 

7 comentários:

Smoozie disse...

obrigada minha linda, ♥

▼ Danii disse...

É verdade querida!
Oh, que lindo texto, adorei, diz muitas verdades :)

mary disse...

adoro :)

Renata disse...

Adorei, escreves muito muito bem*

anna disse...

ainda bem querida (:

Renata disse...

não tens de que querida*

Amêndoa disse...

escreves muito bem! GOSTEI MUITO :D