21.9.11

7, dono do meu coração

Não há como flutuar sobre o céu mas há como pairar nos teus longos braços. Não há como delirar nas estrelas mas há como me sentir lá na mesma intensidade que lhes poderia tocar. Não há como pintar os traços das ondas do mar mas há como mergulhar nele. Não há como navegar acima das nuvens mas há como desenha-las num papel de rascunho. Não há como interpretar o sol mas ele brilha-nos sobre os cabelos e sim, sem nada em troca. Não há como voar mas soube atirar-me de cabeça e entranhar-me na tua alma. Não há como descrever o nosso amor, como todas as estruturas concretas da nossa paisagem.

1 comentário:

Esther disse...

oh.. surpreendes-me muito