1.9.11

2, dono do meu coração

Evito ir buscar o teu nome às profundezas das palavras. Dignas ou desonestas, elas nunca se adequam à pureza que tens dentro do teu olhar. Falar de ti é como arrancar-me o coração, é como retirar-me a alma. Parte de mim é infiltrada por ti a outra parte é consagrada a nós. Diga-se que falar para ti é um gesto brando mas exprimir-me sobre ti é exigente. Não é impossível. Morro de amores por ti. E cada claridade do dia, cada escuridão da noite que passa consigo ainda amar-te mais - irrealizável, não. De todo. És especial, ao teu jeito, mas és. Preciso que não ignores o ser inigualável que levas dentro de ti. Se algum dia eu te machucar com palavras obscuras, dizendo que não o és, não leves a peito - eu só estaria a mentir. Tudo o que fui, tudo o que sou é uma grande alteração - feliz, realizada, amada. Se no futuro, continuar como agora, quero-te presente o resto dos meus dias. E eu não acredito em almas perfeitas, em almas gémeas, eu simplesmente continuo acreditando em ti. Amo-te até ao céu.

8 comentários:

joanarocha disse...

que bonito (:

RuteRita disse...

adorei, repito, adorei !

Sara disse...

QUE BELAS PALAVRAS <3

Mariana Ferreira disse...

obg linda (((:

S. disse...

como poderei mostrar o tamanho da minha gratidão para com as tuas palavras? és óptima, querida. assim como os teus textos que, cada vez são melhores. ou até as pequenas frases cheias de significado. continuo a gostar imenso imenso. beijinho, minha querida

joanarocha disse...

muito muito obrigada Catia (:

S. disse...

que mais posso dizer? o teu número para cá, já! :)
p.s: gosto imenso da música!

Madalena Mourisca disse...

mas quando tu queres, arrebentas com a escala! tás uma p* cara ahahah xD